Olivia Palermo

Ela é referência de estilo, dona de um bom gosto inconfundível, famosa por misturar lé-com-cré e não errar nunca. Além disso, já foi vilã de reality show e há pouco tempo ficou noiva desse cara aqui, (que só podia ser alemão, diga-se de passagem <3). O cartão de visitas tá bom ou quer mais?

1

O guarda roupa é invejável, mas a verdade é que Olivia fica bem com tudo. Bônus para a maquiagem e o cabelo sempre feitos, o que ajuda em muito o visual, mas mesmo quando vai levar totó (ou sei lá o nome do cachorro) pra passear, a cara lavada é uma pele perfeita + óculos escuros, e ninguém nem percebe que ela saiu sem maquiagem.

2

Ela usa de tudo. Muita calça jeans, couro, pele, camiseta, moletom, salto, tênis, macacão com bota. E fica linda. O segredo, além do bom gosto, é a postura. Olivia tem aquela postura de quem caminha e diz “abram, súditos”. Quem se sente bem no que está vestindo normalmente segura o que for. #fikaadika #plebe

3

É o high-low que deixa tudo tão legal e fora do comum. Quando a gente tá esperando um salto, Olivia veste tênis, quando espera um moletom, ela vai de casacão de pele. Admiro muito quem se veste assim, seguindo a própria intuição e confiando no próprio estilo (mas com noção, ok, noção!). A chance de Olivia sair na rua e encontrar alguém vestindo a mesma coisa é… tipo… zero. E isso é bem legal.

4

Ó que gracinha que fica com tênis. E pasmem, esse primeiro é um Nike Free Run, daqueles de acadjimia, num look que eu usaria já. Muito amor!

5

E um jeans + camisa branca, e jeans + jeans, provando que se vestir pro trabalho pode ser bem legal e que você é que é entendiante. Olivia poderia ter o seu guarda roupa e te deixar no chinelo, e é por isso que Olivia Palermo… pega o Johannes e você não é Olivia Palermo.

Entendeu meu ponto?

Meu site preferido

Se tivesse que escolher um site preferido, às vezes não sei se escolheria o meu! Hahaha tem tantas outras coisas que me inspiram que é difícil falar de todos que gosto, mas um deles é, sem dúvidas, meu preferido.

Captura de Tela 2012-12-03 às 23.00.30

O site, na verdade, é um Tumblr, e chama Grey. Nada de 50 Shades, no entanto. A dona é uma menina de 17 anos chamada Gael, e pelo que conversei com ela algumas vezes, acho que poderia ser minha irmã de outra mãe! O site reflete meu gosto pessoal, e é sempre pra lá que corro quando busco inspiração em alguma coisa, ou só umas músicas novas. (clique em Tunes – a seleção dela é incrííível e inclui de Diana Vickers a Neon Hitch, que já entraram para mim lista de preferidas).

O post hoje foi rapidinho porque tenho 1 zilhão de coisas para fazer. Então animem a segundona com novas músicas e boas imagens, que logo mais volto para postar alguma outra coisa (to sentindo saudades de escrever sobre homens hahaha quem sabe no próximo post!) 

Catwoman

Fui assistir ao novo filme do Batman esse final de semana e saí do cinema (sem spoilers aqui, mas que filme!) embasbacada com a beleza e o figurino/maquiagem de Anne Hathaway.

Muito preto, roupas justas e batom e unhas vermelhas: a epígrafe da femme fatale, da sensualidade e de tudo aquilo que encanta os homens – sem mostrar nem muita perna nem muito decote – só na base de roupas coladas e autoconfiança. (Anne brincou – ou não, vai saber! – que era preciso 3 pessoas para fazer ela entrar na roupa).

Quando o filme acabou, fiquei pensando que todas as mulheres do mundo deviam investir  mais na combinação pretinho básico + batom vermelho, a mais clássica e infalível da história (já cantava Samuel Rosa, em outros tempos). Se foi ela que conquistou Christian Grey Louboutin Bale, George Clooney e Val Kilmer, tá provado por A + B que funciona.

Que tal então no próximo jantar com o namorado/marido, na próxima balada ou na próxima encarnação ocasião especial encarnar a mulher gato e se jogar no preto com vermelho?

Primeiro de tudo, lembre-se da silhueta super justa das peças. Pode ser uma legging de couro com camisa com transparência, um vestido de renda ou um tubinho de bandagem, cuidando das devidas proporções: o justo pede menos pele à mostra e um andar felino elegante, de preferência.

Salto alto, sempre, porque o mundo ainda está pra ver uma mulher gato sem salto. De preferência salto fino. Pode ser scarpin, sandálias abertas, um pump bem alto ou botas acima do joelho (guarde-as se não for usar calças, por favor).

Na maquiagem, batom matte vermelhão. Fucei a internet inteira atrás do batom do filme, mas não encontrei. O preferido de Anne Hathaway é um Maybelline vermelho lindo, com um preço melhor ainda, então vale a pena conferir.

Vale óculos gatinho, unhas vermelhas e alguns acessórios para montar o look. E não dá para esquecer de um item bem importante: a lingerie! Porque se você aparecer de mulher gato no jantar, vai ter que se preocupar com ela…

Make do dia

Sou fã de cabelos ruivos. Não sei se algum dia faria em mim, mas acho lindo nos outros. Ontem vi no facebook que uma amiga tinha virado ruiva e pirei, não sabia que o tom iluminava tanto o rosto. Já estava com essa na cabeça quando bati de frente com uma foto de Alyssa Campanella, Miss USA 2011:

Caí para trás! Tem mais linda? Primeiro de tudo, a maquiagem pele perfeita, que amo. Base, corretivo e um bronzeador iluminador, estilo Gold Deposit, da MAC, no alto da testa e no “E” do rosto (têmpora, maçã do rosto e maxilar). Nos olhos, arrisco dizer que é uma sombra marrom acinzentada marcando o côncavo e delineador bem grosso, com muitos postiços. Lápis marrom (ou sombra?) rente aos cílios debaixo, um blush pêssego bem suave e… batom vermelho! Não sabia que ficava tão bem para ruivas! A verdade é que é só achar o tom certo de vermelho para o tom de pele/cabelo. No caso, a cor casou perfeitamente com Alyssa, e ficou incrível. Cara de princesa de filme.

Para salvar já na pastinha de inspirações.

 

Os clássicos das modelos

Se tem uma coisa que amo é ver como as modelos se vestem fora das passarelas. Elas têm acesso às roupas e a todas as tendências antes que todo mundo, mas nesse caso o ditado “casa de ferreiro, espeto de pau” não poderia ser menos verdade. Elas sabem o que estão vestindo e muitas vezes dão show quando saem dos desfiles, momento em que são quase tão fotografadas quanto nas passarelas.

Se a garota passando na rua é modelo, a gente logo percebe. Elas têm um jeito quase próprio de se vestir e alguns toques na roupa são bem perceptíveis. Um estilo comfy chic que é de babar. Uniforme oficial? Calça skinny, biker boots e camiseta/camisa com alguma coisa por cima: jaquetinha de couro ou casacão são os preferidos.

Sou fã #1 de Cara Delevigne, a irmã mais nova de Poppy. Além de linda ela abraça o tal “uniforme de modelo” como estilo, e acho que cai super bem nela. Lindo, prático e à prova de erros.

A clássica skinny preta – que pode até ser de couro – está no guarda roupa de todas elas. Praticamente não tem exceção. A verdade é que, por serem modelos, todas elas têm o corpo para esse tipo de calça, e nada mais justo do que usar e abusar dele. Afinal, além de lindo, o modelo skinny fica bem com tudo: todos os tipos de sapato (de rasteirinha a botas e saltos) e todas as peças de roupa.

No verão elas colocam as pernocas de fora, justíssimo considerando os metros de pernas que elas têm. O shortinho de couro é must have, sempre combinado com camisa ou camiseta/regatinha, tanto de materiais super finos quanto do bom e velho tecido podrinho. Afinal modelo que é modelo segura ambos, e tudo combina com aquela it bolsa sempre a tiracolo.

E modelo que se preze também se joga no vestidinho e na mini saia. Combinados com botinha, então, são a assinatura de muitas delas.

E longos! Porque quem é que resiste? Se for preto, melhor ainda. Não tem como errar nem ficar desconfortável, e de quebra ainda fica lindo.

Quando dá uma esfriada, vale blazer, perfecto, cardigã e capa ou casacão de lã. Quando se é modelo meio que vale tudo. Ainda assim, elas sabem vestir: skinny na parte de baixo e bota + bolsa desejo. Precisa de mais alguma coisa?

Por último, mas não menos importante: modelo que é modelo tem que ter uma boa perfecto de couro para usar com a skinny. Pode se jogar na calça rosa como Izabel Goulart, apostar no tênis como Karolina Kurkova ou ir na amada botinha, como Cara e Giselinha, que não tem erro.

Impossível não reconhecer – depois de muitas e muitas fotos! – o estilo próprio das modelos off duty. Impossível também não querer buscar inspiração nelas na hora de se vestir. Afinal: básico, lindo e despretensioso; quem não gostaria?

Fotos: Stockholm Streetstyle

Preso com bossa!

Que atire a primeira pedra quem não morre de pena de usar cabelo preso naqueles dias em que acordou com ele lindo, leve e disciplinado! Rabo de cavalo acaba sendo sempre renegado a cabelo de academia, praia e outras conveniências. Fica até atrás do coque, que pelo menos aparece intencionalmente em festas de casamento.

Confesso que sempre lembro daquela cena do filme “A Verdade Nua e Crua”, em que Gerard Butler fala que rabo de cavalo só é aceitável para tirar o lixo e operar máquinas pesadas. Sei lá se os homens realmente pensam isso. Prometo averiguar. Agora, duvido que se fosse para sair com uma das mocinhas abaixo, Gerard Butler ou qualquer outro homem (não comprometido!) da face da Terra recusaria:

Preso com voluminho e a franja solta, bem escovado com babyliss, com voluminho e alguns fios soltos e preso bagunçadinho. Quando o ambiente é mais formal, como um tapete vermelho, uma mecha sempre vai por cima, escondendo o amarrador.

Bar Refaeli é uma que está quase sempre de cabelo preso, como nas duas fotos do centro.

“Mas eu nunca namorei o DiCaprio não tenho o rosto da Bar Refaeli”. Ok, tem gente que fica melhor de cabelo preso, e eu não sou uma dessas pessoas. Só que existem vários tipos de rabo de cavalo, impossível não achar um que fique bem. O cabelo preso ainda realça a roupa, os ombros ou costas de fora, o brinco ou colar e a maquiagem. É mais imprevisível que o cabelo solto, e com certeza não vai passar despercebido.

Dá para tentar em casa, fazendo um rabo com voluminho, passando um babyliss na ponta, assim, como quem não quer nada, para ir acostumando a usar o cabelo mais preso.

Outro detalhe que fica lindo é esse cuff de metal que vai em volta do amarrador. Já vi em várias cabeças gringas, mas ainda não achei para vender em nenhum lugar desse vasto Brasil. Se alguém souber, pode avisar!

Inspiração para fazer em qualquer ocasião. Pode ser para trabalhar, jantar fora ou balançar o esqueleto bandage dress na festa mais próxima.